sábado, 22 de abril de 2017

Texto: Divide a sua vida comigo

08:38 4

Oi. Desculpa se estiver em uma reunião importante e confundir essa mensagem com a resposta de um cliente. Mas eu preciso falar que VOCÊ NÃO SAI DA MINHA CABEÇA. Eu não sei mais o que fazer. Eu não sei mais que palavras usar. Eu não sei mais como mostrar para você o quanto eu te amo.

Quando terminamos você disse que seria o melhor para nós. Melhor para quem? Estamos sofrendo! Estamos enfrentando uma batalha diária contra os nossos próprios corações, tentando convencê-los de que acabou. Quando na verdade estávamos apenas no começo de nossa história.

E a passagem que compramos para conhecer a América... O nosso sonho! Vai convidar alguém para ir no meu lugar? Ou vai lutar? Lutar para que a nossa viagem aconteça. Lutar para que as turbulências não sejam mais fortes que a nossa vontade de voar. E uma vez no céu, meu bem, tudo passa a fazer sentido outra vez.

Para de ser orgulhoso e responde a minha mensagem. Por favor! Vamos marcar um café na padaria que fica na esquina do seu trabalho, a que você mais gosta, e conversar até a garganta ficar seca. Vamos falar sobre os nossos sonhos ou simplesmente o que pretendemos fazer no final de semana.

Ah! Mande notícias do nosso cachorro, estou morrendo de saudades do Brutos. Encontrei um de seus brinquedos no meu apartamento, lembra da galinha que fazia barulho? Era um barulho que irritava, mas que ríamos até a barriga doer! Lembro que você se engasgou uma vez. Vou guardar aqui para buscar... Você sabe onde me encontrar. Até mais, se cuida.

Texto autoral
Carolina C. Meulam
Leia mais...

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Conto: O Presente - Karen Alvares

04:43 12

Olá pessoal! Hoje vou fazer uma resenha do conto O Presente, da série Espelhos, escrito pela autora Karen Alvares. O conto faz parte da coleção Contos do Dragão, o maior acervo de contos publicados de forma individual no Brasil, da Editora Draco. Em fevereiro o blog fechou uma parceria com a Editora, o que promete muita novidade e autores nacionais por aqui. Eu sempre bato na tecla de que, antes de falarmos de literatura internacional precisamos falar de literatura nacional. Então vamos conhecer um pouco do trabalho da Karen!

Sinopse
Conto de Karen Alvares da série Espelho, de “Inverso” e “Reverso”. É o aniversário de sua melhor amiga, e Daniel, pela primeira vez, não consegue escolher um presente. A sugestão de sua mãe (tempos desesperados requerem medidas desesperadas!) é diferente e meio embaraçosa, e agora ele precisa enfrentar o medo, um pai desconfiado e uma irmãzinha linguaruda antes de entregar o presente. Será que Megan vai gostar?


O conto de 10 páginas faz parte da série Espelhos, que contém os livros ''Inverso'' e ''Reverso". Eu vi em outra resenha que o conto O Presente se passa em uma das histórias, mas o li de forma independente e não comprometeu o meu entendimento. De fácil leitura, o conto apresenta o personagem Daniel chegando a casa de Megan, sua melhor amiga. O personagem relata o nervosismo para entregar o seu presente de aniversário que, segundo ele, tinha que ser especial. No desenrolar da narrativa percebemos uma queda de Daniel pela Megan, abrindo uma possibilidade para que os dois realmente fiquem juntos (ou apenas exista uma friendzone).

De temática Nerd e adolescente, é impossível de não se identificar em algum momento! Às vezes brinco que serei uma eterna adolescente, porque eu devoro conteúdos do gênero. E com o conto O Presente não seria diferente. A sua abordagem é mais leve do que a dos livros quando comparamos as sinopses. Recomendo a leitura, mesmo que tenha sentindo vontade de ler mais páginas, o conto é divertido e muito atual. Não conhecia a escritora Karen Alvares, mas fiquei muito encantada com o seu trabalho. Ela já escreveu inúmeros livros, todos disponíveis na Amazon, e também publica pela Editora Draco. Olha que legal!


O conto O Presente pode ser adquirido na Amazon de forma gratuita. Aproveite! E não esqueça de compartilhar com os amigos. Espero que tenham gostado da postagem e, se conhecem o trabalho da Karen e/ou já leram o conto, escrevam nos comentários a opinião de vocês. Até mais.
Leia mais...

terça-feira, 18 de abril de 2017

Bate-papo: Eu tenho depressão

22:26 6

Eu só entendi o que era depressão quando descobri que tinha depressão. Longe de mim julgar as outras pessoas, mas na minha cabeça sempre pareceu mais fácil do que realmente é. Na minha cabeça, na verdade, nunca fez sentido uma pessoa não sentir vontade de levantar da cama. Não sentir vontade de estudar e trabalhar muito para, pouco a pouco, alcançar a sonhada ''carreira de sucesso''. Não sentir vontade em praticar atividade física e cuidar da alimentação, afinal, ter autoestima é ter quase tudo na vida. Certo? Errado.

O que significa ter autoestima quando você não consegue ao menos encontrar um sentido para continuar vivendo? Esse tipo de preocupação se torna irrelevante e questões mais profundas cercam a vida de pessoas depressivas. Eu tenho familiares, amigos e pessoas mais próximas que convivem diariamente com a depressão. E é curioso porque, mesmo familiarizada com a doença e suas consequências, eu nunca entendi o que exatamente era ter depressão. Até o dia em que a ficha caiu, eu tinha depressão!

Coloquem uma coisa na cabeça de vocês, porque ninguém me avisou sobre isso antes. Não é normal não querer sair da cama. Não é normal não querer sair de casa. Não é normal não querer tomar banho e não se importar com a sua aparência. Não é normal não querer trabalhar. Não é normal não querer se relacionar com outras pessoas. Não é normal não querer limpar a sua bagunça (e não enxergar a bagunça). Não é normal não querer estudar. Não é normal não querer ir nas aulas. Não é normal não se importar com datas atrasadas, compromissos e responsabilidades. Não é normal passar o dia inteiro em frente a um computador e preferir o mundo virtual. Não é normal chorar mais do que sorrir. Não é normal pensar em morrer. Não é normal pensar em formas de morrer. 

Infelizmente, como falei acima, eu não pude ser o melhor ombro amigo quando as pessoas que conhecia enfrentaram a doença. Mas hoje eu posso e, mais do que isso, posso ajudar você a se tornar um ombro amigo também. Antes de tudo, se preocupe menos com o entendimento e mais com o apoio. Essa pessoa precisa de uma ajuda profissional, mas principalmente da sua ajuda. O apoio de familiares, amigos e pessoas mais próximas será fundamental no tratamento e para que não cometa o suicídio. 

Não a julgue! Ela sabe de sua realidade e, assim como você, não está satisfeita com ela. A diferença é que não tem forças para mudar e por isso precisa de ajuda. A cada julgamento e olhar crítico você apenas está agravando cada vez mais a doença. Um vídeo que assisti recentemente, e fala muito bem sobre o assunto, é o vídeo do Felipe Neto (clica aqui). Em uma rápida pesquisa também descobri que o Brasil é o país com mais depressivos de toda a América Latina, fonte Agencia Brasil. E você, vai ser um ombro amigo ou um julgador?


Depois de não conseguir sair de casa para pagar contas atrasadas, mesmo com dinheiro em mãos e morando há 5 minutos do caixa eletrônico mais próximo, decidi que eu precisava falar sobre o assunto. E não, a série 13 Reasons Why não é o gatilho. O gatilho é a sociedade e a forma como as pessoas tratam a doença. Mais uma vez, não é normal. Não é normal! Não é falta de trabalho. Não é falta de Jesus. Não é falta de amigos. Não é falta de dinheiro. É uma doença, simplesmente aceite e faça a sua parte.

Relatos que tenham relação com o tema abordado serão muito bem-vindos! Para quem tiver interesse de contar em particular pode entrar em contato pelo e-mail carolinacostameulam@hotmail.com. E lembrem, tudo passa.

Leia mais...

sábado, 8 de abril de 2017

BEDA 8 | Série: Chewing Gum [não contém spoilers]

09:13 15
Michaela Coel
Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje vou falar sobre a série Chewing Gum e, se não sabe do que estou falando, leia até o final! A série Original da Netflix é uma adaptação da peça Chewing Gum Dreams, escrita por Michaela Coel, a mesma autora e protagonista da série. GIRL POWER! Dirigida pela dupla Simon Neal e Tom Marshall, Chewing Gum faz referências a vida da autora, mostrando um retrato fiel de como é ser mulher, negra e pobre na sociedade.

SINOPSE
Em Londres, Tracey Gordon (Michaela Coel) é uma jovem religiosa de 20 e poucos anos que idolatra a cantora Beyoncé. Ela passa o tempo com seus amigos, alguns deles já trabalham ou têm família. Mas a grande verdade é que eles não fazem ideia do que estão fazendo e só querem saber de aproveitar a vida, sem se preocuparem com as responsabilidades da vida adulta.


De 6 episódios de aproximadamente 20min em cada temporada, a comédia garante diversão para o seu intervalo de almoço, faculdade ou até mesmo antes do trabalho. De origem Britânica, Chewing Gum conta com um elenco para lá de talentoso, como Michaela Coel (como Tracey Gordon, protagonista), John MacMillan (como Ronald, namorado de Tracey no começo da 1º temporada), Robert Lonsdale (como Connor Jones, vizinho de Tracey), Tanya Franks (como Mandy, mãe de Connor), Danielle Isaie (como Candice, melhor amiga de Tracey), Kadiff Kirwan (como Aaron, namorado de Candice), Susan Wokoma (como Cíntia, irmã de Tracey), Shola Adewusi (como Joy, mãe de Tracey), entre outros.

Chewing Gum aborda temas polêmicos (e de extrema importância), como religião, sexualidade, preconceito, desigualdade social e dependência química. De forma muito singular a série apresenta as primeiras experiências de Tracey na vida adulta, as descobertas e sua ingenuidade em relação ao mundo. Impossível de não se apaixonar pela jovem! Além de linda, Tracey tem uma personalidade caricata, o que faz muitas pessoas não entenderem ou não gostarem de Chewing Gum. Eu particularmente vejo como um diferencial, já que a maior parte do mercado segue a mesma linha estética e narrativa. Tsc. Tsc.

Com um toque +18, a série consegue ser ainda mais engraçada ao mostrar cenas de sexo (ou tentativas de sexo). Um recurso técnico usado em Chewing Gum, quando Tracey interage com a câmera, é a quebra da quarta parede. Falando agora como uma estudante de Produção em Mídia Audiovisual, fico muito feliz ao encontrar séries que exploram, sem medo, novos recursos e formas de contar uma história. E no caso de Chewing Gum atingiu um tom ainda mais cômico, quando passamos a ser amigos de Tracey, e não meros expectadores, sabendo de seus segredos e pensamentos mais íntimos. 

Imagem relacionada

Eu terminei a série em poucos dias e já estou roendo as unhas para a próxima temporada, embora não tenha certeza de que realmente existirá uma. Espero que tenham gostado da postagem e recomendo darem uma chance para, pelo menos, conhecerem a série! Lembrando que ela possui conteúdo para maiores de idade. 

Disponível na Netflix até a 2º temporada.

Leia mais...

sexta-feira, 7 de abril de 2017

BEDA 7 | Tag: Viciada em Séries

10:33 9
Raising Hope
Olá pessoal! No post de hoje vou responder a Tag: Viciada em Séries. Fui indicada pelo blog Dossiê de Verão, beijo Bianca! Então continuem acompanhado a postagem para conferir as minhas respostas e saber como você pode responder também.

1. Qual seu seriado atual favorito?
Raising Hope! Ainda não superei o fato de terem cancelado a série na 4º temporada. Já falei um pouco sobre a temática aqui. A série acompanha o quotidiano de uma família americana nem um pouco tradicional.


2. Qual seu seriado antigo favorito?
Um Maluco no Pedaço, sem dúvidas! Falei na versão pt-br porque o meu primeiro contato com a série foi na emissora SBT. Aliás, foi o meu primeiro contato com o mundo das séries. Valeu tio Sílvio!


3. Já ficou triste com o final de alguma série?
Sempre! A mais recente, e pesada, foi 13 Reasons Why. A série mexeu comigo a ponto de me isolar por dias de tudo e todos. Recomendo a série, mas não recomendo para pessoas que sofram de depressão e transtornos psicológicos.


4. Cite um seriado que todos gostam e você não.
Não é um seriado que eu não goste, mas que não tenho interesse em assistir. Grey's Anatomy. 


5. Qual seu personagem favorito de um seriado?
Jane, do seriado Jane The Virgin, e Hannah, do seriado 13 Reasons Why. Para começar, elas são escritoras! A Jane é uma jovem que me identifico porque é muito batalhadora e ainda consegue ser a melhor companhia que alguém pode ter (ou pelo menos tenta). E a Hannah porque é divertida e ao mesmo tempo reservada, além de todo o bullying que enfrenta no ensino médio.


6. Qual personagem que você odeia?
Não penso em ninguém especificamente.

7. Qual seriado você recomenda pra todo mundo?
Modern Family, já falei sobre aqui. É uma série que, assim como Raising Hope, acompanha o quotidiano de uma família nem um pouco tradicional. Impossível de não se identificar! Recomendo.


8. Qual seriado tem o melhor figurino?
Roubando a resposta do blog Dossiê de Verão, a série Pretty Little Liars. É incrível, cada liar tem o seu próprio estilo muito bem construído, tanto na personalidade como no figurino. E claro, com muito bom gosto! 


9. Melhor abertura ou música tema?
Difícil de lembrar... Mas ainda fico com a série Pretty Little Liars. Gostei da trilha sonora a ponto de ir atrás, para descobrir a banda, e hoje ser fã. A propósito, The Pierces é quem canta na abertura. A banda também aparece no seriado Gossip Girl.


10. Qual foi o último seriado que você assistiu?
A última série que terminei foi 13 Reasons Why e a última que assisti foi Chewing Gum (+18). Chewing Gum é uma série divertida que aborda temas, no mínimo, polêmicos. Infelizmente é pouco conhecida. Recomendo!


Espero que tenham gostado da postagem! Indico o blog Mundo de Fany e quem mais quiser responder. Só gostaria que avisassem aqui nos comentários para que eu possa conferir as respostas de vocês também. Ok?
Leia mais...

@carolinameulam